Obesidade



COMA
• Hidratos de carbono complexos, presentes nas massas, batatas, arroz e pão integral.
• Fruta fresca, legumes, saladas e leguminosas.
• Carne magra, aves (sem pele) e peixe.
REDUZA
• Gorduras de todos os tipos.
• Álcool.
EVITE
• Lacticínios gordos.
• Snacks gordos e açucarados.
• Carnes com elevado teor de gordura, como salsichas e bacon.

A obesidade é o distúrbio nutricional mais vulgar no mundo ocidental, considerando-se obesa a pessoa que tenha um peso 20 a 30 % superior ao máximo desejável para a sua altura, sexo e idade.
Se tem duvidas acerca deste assunto, fale com o medico de clínica geral, que lhe dirá quais os limites de peso aceitáveis para o seu caso.
Este problema é tão prevalente em Portugal como em qualquer parte do Mundo.
Calcula-se que 30 a 35% da população portuguesa tenha gordura a mais e que cerca de 10% seja obesa.
Pelo facto de o peso ser uma questão com aspectos psicológicos e emotivos relevantes, para além dos estritamente físicos e nutricionais, é aconselhável pedir a opinião do médico, se lhe parece que você, ou algum membro da sua família, tem um problema grave de excesso de peso.
Não existe uma solução mágica para a obesidade, mas é possível atingir um peso mais baixo e mais saudável aumentando o nível de actividade física e reduzindo a ingestão de calorias, sobretudo das calorias derivadas da gordura.
A obesidade pode ter consequências desastrosas a nível da saúde e da satisfação. Do ponto de vista emocional, pode conduzir a uma falta de auto-estima e à depressão, porque a pessoa obesa não consegue ter uma vida normal e activa.
Os sintomas físicos podem incluir dificuldades de respiração, dores nas pernas e tornozelos inchados. O excesso de peso pode dar origem a lesões nas articulações, provocando osteoartrite, sobretudo nos joelhos e nas ancas.
As pessoas com obesidade grave têm uma probabilidade acima da média de vir a sofrer de hipertensão arterial, diabetes, problemas da vesícula biliar e gota. É natural que venham a sofrer de sintomas mais graves no caso de doenças como angina de peito e artrite, que persistem e se agravam com a idade, a menos que se tomem medidas para emagrecer. A obesidade pode também estar ligada à aterosclerose, a distúrbios cardíacos e a certas formas de cancro.

QUAL A CAUSA DA OBESIDADE?
A obesidade é normalmente provocada pela coexistência de excesso de alimentos e falta de exercício. Quando se ingerem mais calorias do que as que se queimam durante a actividade normal quotidiana, o excesso é armazenado sob forma de gordura. Isto não significa necessariamente que se coma muito mais do que a maioria das pessoas.
Contudo, se a dieta contém alimentos de alto valor calórico, como biscoitos, bolos e aperitivos, ricos em gordura e açúcar, ate mesmo porções pequenas podem fornecer ao organismo mais energia do que a necessária. É então provável que isso venha a resultar em acréscimo de peso, a menos que se aumente o nível de actividade física para compensar a ingestão de calorias.

O PROBLEMA ESTÁ NA GORDURA
Sabe-se que a proporção entre gorduras e hidratos de carbono de uma dieta é muito significativa no controle do peso. Pessoas que consomem o mesmo número de calorias têm mais probabilidades de ficar obesas se a sua alimentação for mais rica em hidratos de carbono, pelo que se perde peso mais rapidamente com uma dieta pobre em gorduras do que uma pobre em hidratos de carbono. As autoridades médicas recomendam por isso que cerca de 50% da energia que utilizamos seja proveniente de hidratos de carbono, com um máximo de 35% de gorduras.
Muitas pessoas obesas atribuem o seu peso a um metabolismo lento, a um desequilíbrio hormonal ou tendência hereditária para engordar com facilidade. Mas só raramente estas são as causas reais da obesidade.
Por vezes, o problema parece ser comum a muitos membros de uma família apenas porque cada geração transmite à seguinte maus hábitos alimentares. Algumas pessoas engordam com a idade porque mantêm os hábitos alimentares de fases anteriores, em que o seu gasto de energia era maior. Outras reagem a problemas emocionais comendo exageradamente.
A mulher tem mais tendência para a obesidade do que o homem, porque o corpo feminino armazena a gordura de forma mais eficiente; o ideal para a mulher seria que 25% do peso do corpo fossem constituídos por gordura; no homem, essa percentagem deve ser de 15%.
A única forma sensata de perder peso é uma dieta pobre em gorduras com exercício físico regular. No entanto, os obesos devem começar por um tipo de exercício ligeiro, como marcha ou natação.





0 comentários:

Enviar um comentário


Posts Mais Populares

PUBLICIDADE
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...