Ansiedade



COMA
• Carne, ovos, queijo, nozes e vegetais de folfas verdes, que são boas fontes de diversas vitaminas do complexo B.
• Citrinos, por causa da vitamina C.
• Bebidas de leite adoçadas.
EVITE
• Chá, café e colas, que contêm cafeína.
• Cacau e chocolate.
• Álcool.

Qualquer pessoa, numa outra ocasião, passa por fases de preocupação e medo, mas quando a ansiedade é crónica, torna-se um problema clínico que deve ser referido ao médico. Embora se trate de uma situação psicológica, a ansiedade manifesta-se por sintomas físicos, sendo cada vez em maior número as opiniões médicas de que a dieta pode ajudar a aliviar, ou mesmo eliminar, alguns desses sintomas.
Entre os sintomas físicos, contam-se secura da boca, sudação, dificuldades respiratórias, palpitações, tonturas, dores de peito, diarreia e fadiga. A ansiedade pode chegar a debilitar o sistema imunitário.











Perda de apetite e refeições perdidas perturbam os padrões normais de alimentação. Em consequência, a menor ingestão de alimentos leva a perda de peso e a nutrição inadequada. As deficiências resultantes podem ser agravadas pela debilidade que a própria ansiedade acarreta.
Há provas que associam a ansiedade a uma carência de magnésio e vitamina B. Sob tensão (stress), o organismo consome rapidamente as suas reservas de vitamina C, e as pessoas que sofrem de ansiedade crónica podem beneficiar com o aumento da ingestão desta vitamina. Assim é essencial ter uma alimentação equilibrada e fazer refeições regulares. Evitar alimentos pode conduzir não só ao aumento da ansiedade, como ao risco de surgirem outros problemas, em especial os que se relacionam com a digestão, como a azia.
A cafeína, presente no café, no chá e em certas bebidas com cola, e também no chocolate preto, é um estimulante. Em pequenas quantidades pode estimular o desempenho físico e mental, mas em quantidades maiores conduz à agitação, particularmente nas pessoas sensíveis à cafeína.
As pessoas que sofrem de ansiedade procuram frequentemente alivio através de uma bebida alcoólica, mas com isso agravam provavelmente o problema, em vez de o minorar. Muitas pessoas pensam que o álcool é um tranquilizante ou um estimulante, quando na verdade é um depressivo. De facto, durante a fase de privação, que ocorre 6 a 12 horas depois da ingestão de álcool, quando os níveis de açúcar estão baixos, as pessoas ficam mais susceptíveis a crises de ansiedade.





1 comentário:

  1. Imagem com direitos de autor, http://facebook.com/albalunaa

    Agradeço no mínimo referência a "Alba Luna"



    meu mail: ana.mosquera.figueiredo@gmail.com

    ResponderEliminar


Posts Mais Populares

PUBLICIDADE
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...