Arroz



BENEFÍCIOS
• Boa fonte de amido.
• Hidrato de carbono isento de glúten, adequado a pessoas com doença celíaca.
• Ajuda a manter constantes os níveis de açúcar no sangue.
• Farelo de arroz pode reduzir o risco de cancro dos intestinos.
INCONVENIENTES
• As dietas com elevado teor de arroz branco podem ser deficientes em tiamina.
• As dietas com elevado teor de arroz branco podem contribuir para carências de ferro e cálcio.

O arroz é o alimento de mais de metade da população mundial, da qual é, para além de fonte de energia, uma importante fonte de proteínas. À semelhança do que acontece com qualquer outro tipo de grão, quanto mais refinado for o arroz menos vitamina e minerais contém, pois muitos dos seus nutrientes estão contidos no farelo e no germe. Em populações que subsistem à base de arroz branco, é vulgar detectar-se deficiência de tiamina. Contudo, o farelo, presente no arroz integral, também contém factores prejudiciais do ponto de vista de nutrição, entre eles o ácido fítico, que inibe a absorção de ferro e cálcio.
O arroz a que foi retirado o farelo coze mais rapidamente: por um lado, é possível manter-lhe muitas das vitaminas se for ligeiramente cozido antes do descasque (arroz pré-cozido). O arroz branco pode ser enriquecido pela adição de vitaminas e minerais depois do descasque. Apesar de ter um baixo teor de fibras, parte do amido do arroz branco é resistente à digestão, actuando como fibras dietéticas.
O amido do arroz, sobretudo do arroz integral, é digerido e absorvido lentamente, permitindo assim uma libertação constante de glucose no sangue, o que ajuda a controlar os níveis de glicemia de pessoas com diabetes. Sendo isento de glúten, o arroz é útil em casos de intolerância ao trigo ou de doença celíaca e é um bom alimento para as crianças em fase de desmame.
As dietas macrobióticas baseadas em arroz integral tornaram-se muito populares na década de 60 no entanto, verificaram-se várias mortes quando algumas pessoas tentaram subsistir exclusivamente de arroz integral. De facto, as dietas especialmente baseadas no arroz integral podem dar origem a deficiências de minerais e são particularmente inadequadas para crianças.

O ARROZ E A MEDICINA
O arroz é utilizado desde há muito pela medicina natural para tratar distúrbios digestivos, desde a indigestão à doença diverticular. Também se pensa que possa aliviar casos ligeiros de diarreia e obstipação. Além disso, a investigação sugere que comer farelo de arroz, disponível em lojas de produtos dietéticos, pode reduzir o risco de cancro do intestino.

TIPOS DE ARROZ
O arroz que se encontra à venda pode ser classificado segundo o tamanho do grão (longo, extralongo, agulha) e segundo o tipo de tratamento a que é submetido, desde o integral ao pré-cozido e ao refinado. O arroz branco de grão longo é uma das variedades mais populares. Tem um sabor delicado e o descasque retira-lhe as camadas exteriores de cutícula e farelo. O arroz integral de grão longo é mais saboroso, mantendo a camada de farelo depois de um descasque mínimo. Isso significa que o arroz integral contém mais vitaminas, minerais e fibra do que o arroz branco, sendo por isso mais nutritivo.
Rissoto – arroz de grão médio que absorve bem a agua, formando uma massa cremosa depois de cozido. Usado na cozinha italiana.
Basmati – arroz aromático de grão longo, geralmente usado em pratos indianos. É considerado o arroz de maior qualidade.
Gomoso – pegajoso depois de cozido, este arroz é muito usado no Extremo Oriente. Quase redondo, tem um sabor levemente adocicado.
Jasmim – arroz aromático, semelhante ao basmati, mas com textura mais gomosa. Muito usado na cozinha chinesa.
Trinca – arroz de grão redondo, ideal para usar em pudins e doces. Os grãos têm amido e aglomeram-se enquanto cozem.
Arroz selvagem – não se trata na realidade de arroz, mas das sementes de uma erva aquática selvagem da América do Norte. Os grãos são longos, esguios e negros, ricos em vitaminas do complexo B (excepção da vitamina B). O arroz selvagem é muitas vezes utilizado em saladas, misturado com arroz bastami.

SABIA QUE
Pensa-se que o arroz é originário da Ásia Meridional e sabe-se que é cultivado na Índia e na China há mais de 6500 anos. Começou a ser conhecido como alimento Europeu no tempo de Alexandre Magno, mas só foi cultivado a partir do século VIII, altura em que foi introduzido pelos Árabes no Sul de Espanha, de onde se espalhou rapidamente para França e Itália.
Produzido hoje em quase todas as regiões intertropicais e temperadas quentes, à escala mundial a Ásia continua a ser responsável por 90% da produção e consumo de arroz.
Em algumas culturas orientais, o arroz é símbolo de vida e de fertilidade. Talvez seja essa o origem do costume de atirar arroz aos recém-casados.





0 comentários:

Enviar um comentário


Posts Mais Populares

PUBLICIDADE
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...